Seu navegador não suporta Javascript! Dia dos namorados: dicas e cuidados para a compra de presentes | Alves Araujo

8 de junho de 2017

Dia dos namorados: dicas e cuidados para a compra de presentes

Dia dos namorados

No próximo dia 12 de junho muitos casais devem comemorar o Dia dos Namorados. Isso significa presentes, flores, um jantar especial, dentre outras opções estimuladas pelo comércio. Também pode significar algumas surpresas e problemas, que podem ser evitados com alguns cuidados na hora da compra dos produtos ou serviços.

O lojista, por exemplo, não pode definir um limite mínimo para a compra com cartão de crédito ou débito. Já sobre “cheques”, a aceitação fica a critério dos estabelecimentos. Sendo que, em caso de cheque pré-datado, recomendamos que o consumidor faça constar, na nota fiscal, o número do cheque emitido e a data em que deve ser depositado.

Mesmo que esse dia seja uma data com apelo para nosso lado afetivo, não deixe que somente a emoção tome conta do seu bolso na hora de presentear a pessoa amada. E para que você não se esqueça de seus direitos e deveres como consumidor, confira algumas orientações:


Hora dos presentes 

Muitas são as opções de presentes para a data, mas uma delas sempre agrada: a famosa cesta de café da manhã. Certifique-se de que todos os itens estão dentro do prazo de validade e exija que não haja contrato direto dos produtos alimentícios com produtos químicos (cosméticos, por exemplo) ou com flores. Procure ainda verificar se a pessoa que vai receber o presente possui alguma restrição nutricional em sua dieta (diabéticos, vegetarianos, hipertensos, etc.) 

Nesta época, os mais românticos também procuram por flores, o que acaba contribuindo para a elevação dos preços. Por desejar agradar a pessoa amada, o consumidor não mede esforços e os fornecedores aproveitam-se disso. Por isso, é sempre recomendado, assim como para os demais itens, a pesquisa de preços, que deve levar em consideração o tipo da flor e do arranjo, já que o preço poderá ter alterações consideráveis. 

Para a entrega, não deixe de verificar o valor do frete. Tudo deve ser feito por escrito: tipo de flores ou arranjo, horário, local e mensagem. Solicite confirmação da entrega e exija nota fiscal ou recibo. Não se esqueça de confirmar se a pessoa recebeu tudo e reclame caso haja divergência entre a encomenda e a entrega.

Já nas compras feita pela internet, assim como ocorre nas aquisições por telefone ou catálogo, o consumidor pode exercer o seu direito de arrependimento em até sete dias - contados da data da compra ou do recebimento do produto. Antes de comprar, a boa e velha pesquisa de preços não pode faltar. Fique atento ao valor do frete, à forma de pagamento e à política de troca do site e às informações. 


Restaurantes e casas noturnas

A informação referente à taxa de serviço deve ser prestada no cardápio e na nota fiscal de forma clara e precisa, inclusive, discriminando o valor cobrado e a orientação sobre a cobrança ser opcional.

O estabelecimento também deve informar previamente sobre as cobranças de couvert e de couvert artístico. Veja mais sobre o tema aqui.

Em casas noturnas, a cobrança de consumação mínima é ilegal, não podendo ser efetuada. Conforme o Código de Defesa do Consumidor, é proibido ao fornecedor impor limites quantitativos de consumo aos seus clientes.

Outra cobrança considerada abusiva é a multa pela perda da comanda. A obrigação de registrar e controlar todos os itens consumidos é do estabelecimento e, portanto, esta responsabilidade não deve ser transferida para o consumidor. Desta forma, se o cliente perder a comanda, não pode ser penalizado com o pagamento da multa.


Hotéis e motéis

Ambos têm a obrigação de prestar esclarecimentos quanto à informação de preços praticados. Confira as possibilidades de acomodação, os respectivos preços, as formas de pagamento e quantas horas compreendem a diária/pernoite. 
Os preços dos itens contidos no frigobar também devem ser informados previamente e por escrito. Em geral, motéis e hotéis lançam promoções para essa data, portanto, convém comparar as vantagens oferecidas e, claro, fazer reserva.


Vale presente

Na dúvida sobre o que comprar, algumas pessoas optam pelo "vale presente". É importante definir com o lojista, e anotar na nota fiscal, de que forma será restituída eventual diferença de valores entre o vale presente e a efetiva aquisição do produto. O estabelecimento é obrigado a restituir a diferença em moeda corrente, contra vale ou de forma a complementar o valor para aquisição de outro produto.

Defina e registre, por escrito, em que consiste o vale presente (tipo de artigo, tamanho, cor, marca, etc.) e se existe um prazo para usá-lo.

Com alguns cuidados, paciência e bom humor é possível evitar aborrecimentos em momentos que devem ser somente prazerosos, ao lado de sua cara metade. Afinal, consumidor consciente é consumidor informado.





Caso ainda tenha restado alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato conosco ou deixe sua mensagem nos comentários logo abaixo e informe-se sobre seus direitos